© 2016 | Empresa Júnior de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca, São Paulo.

Paradiplomacia | Orbe Consultoria Internacional

Atualizado: Jan 18


Desde a década de 1990, a urbanização acelerada e o crescimento econômico de certas regiões do planeta deram origem a cidades e áreas com economias maiores que as de vários países. Alguns exemplos dessas metrópoles são Nova York, Xangai e São Paulo. Isso se firma devido ao efeito de “paradiplomacia” um termo referente das relações internacionais com o intuito de definir um ator subnacional, ou seja, ele não define um Estado por completo, mas sim uma pequena região, ou um município.


Entretanto, o “efeito paradiplomático” só é possível de ser realizado quando há uma forte autonomia administrativa que consegue fechar acordos, tratados e convênios com diferentes atores na projeção do âmbito internacional. Desta forma, pode ser estabelecidos vínculos com cidades-irmãs para promover interesses comuns, a participação em feiras internacionais de negócios visando a promoção de produtos, serviços, tecnologia até mesmo o turismo das regiões.

Mas como fica a relação dessas regiões, municípios com seus Estados?

Para entender melhor o efeito da “paradiplomacia” no sistema internacional, conceitua-se como uma relação trilateral: entre o governo central, o governo municipal ou regional e os atores estrangeiros. Esta inter-relação harmoniosa que se dá entre esses 3 atores, pode ser estabelecida desde que sigam as regras firmadas da diplomacia do governo geral.


Não obstante, esta não é a única forma que os governos locais podem participar das relações internacionais, outros atores que ajudam nessa forma de estabelecimento de vínculos no caso brasileiros encontramos base nos trabalhos de Lessa (2007) e na atuação das Secretarias de Cooperação Internacional de Campinas (SECOOP) e das Relações Internacionais de Salvador (SECRI).


Em virtude dos fatos mencionados, pode-se perceber que a “paradiplomacia” é um ativismo entre cidades ou regiões, mesmo com a parceria do governo central se realiza de forma autônoma e consequentemente vem crescendo de forma rápida por todo o globo. Com o objetivo de uma prospecção internacional em defesa de seus interesses de novas fronteiras com implementações e políticas públicas, governança e orçamento.