© 2016 | Empresa Júnior de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca, São Paulo.

Eleição e Reeleição | Orbe Consultoria Internacional

Atualizado: Jan 18


Os tempos modernos requerem uma atualização do modo de fazer campanha e influenciar na política. Essa mudança gradativa pode ser vista ao observar o voto de Cabresto na Republica Velha, em que as pessoas não possuíam muito acesso à informação e eram facilmente persuadidas a votar nos coronéis em troca de favores. A cronologia da história nos mostrou que os políticos precisaram se moldar aos tempos em que viviam, com as fatídicas mudanças de voto aberto ao secreto, um maior acesso à informação e por fim, a globalização que universalizou, ou pelo menos tentou disseminar o conhecimento e as informações para a maior parte da população.


Levando isso em conta, pode ser visto a vontade cada vez maior de participação popular em questões políticas na sociedade mundial. Apesar de existir uma grande influência atualmente de Fake News nos resultados eleitorais, também existe um enorme peso do eleitorado jovem na deliberação dos resultados. O IBGE mostrou que o Brasil possui cerca de 37,83% do eleitorado jovem influenciando nas eleições recentes. Esse fato mostra que o voto dos jovens pode ser muito determinante no resultado final, levando em conta a maior taxa de escolaridade e opinião crítica que eles possuem. Além disso, essa parcela da população possui um maior poder de persuasão para com as pessoas do seu círculo social, como pais e avós, podendo dessa forma, haver uma grande influencia em rede.


Pesquisas mostram o quão o mercado consumidor esta mais consciente, tomando decisões positivas sobre o que consomem, minimizando o impacto negativo na natureza, pessoas e animais. Todas essas preferencias refletem e estão concomitantemente alinhados as suas preferencias políticas. Portanto é de suma importância que os políticos e gestores públicos que pensam em sua reeleição estejam engajados com assuntos pertinentes da contemporaneidade e saibam direcionar suas políticas públicas ao que seu público deseja. Dessa forma, torna-se evidente a posição que o cidadão da atualidade preza e se dispõe a fazer para assegurar que as decisões e votos que irão nortear a governança irão de encontro com suas expectativas.