Como o aumento do dólar influencia as exportações brasileiras?

Atualizado: Mai 3


Se você é um empreendedor e investe seu produto ou sua marca no exterior, certamente deve ficar atento ao mercado financeiro uma vez que comercializa em moeda estrangeira. No dia 12 de março de 2020 você deve ter se surpreendido com a notícia da alta do dólar que alcançou R$ 5,00 e hoje, 20 de abril, mais de um mês após o primeiro aumento da moeda americana, teve uma média de R$5,30 segundo a Morningstar. Com isso a Orbe Consultoria Internacional vai te informar sobre como esse aumento pode impactar suas exportações.


O aumento do dólar é o único fator que influencia as exportações?

O empresário que atua no mercado internacional pode vislumbrar na alta do dólar boas oportunidades de lucro. Isso acontece pois as despesas gerais da empresa ocorrem em território nacional, ou seja, os gastos estão centrados na moeda local, o real. A exportação, por outro lado, é destinada a um país estrangeiro na qual o empresário obtém o faturamento em dólar, caso seja esta a moeda utilizada pela empresa nas transações internacionais.


No entanto, há outros fatores além da alteração da taxa de câmbio que influenciam as exportações, como por exemplo a atual guerra comercial entre Estados Unidos e China em um cenário de pandemia mundial. Assim, as variações do dólar podem influir na economia nacional de maneira tanto positiva quando negativamente. É positivo pois beneficia os exportadores com o aumento nos lucros mas, é negativo pois afeta outras variáveis dentro da cadeia de insumos e comércio mundial que, dependendo do nicho de mercado, tem influencias diferentes.


As exportações brasileiras em 2019

Em uma entrevista cedida a UOL publicada no dia 30 de novembro de 2019, José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), associação responsável por representar o setor empresarial de importações e exportações de serviços e produtos, afirma: “A verdade é que esse câmbio mais atrapalha que ajuda o exportador, especialmente o de manufatura”; essa fala dele se dá pelo fato das oscilações da moeda americana dificultarem as negociações entre quem exporta e quem importa para achar um preço de equilíbrio que os agrade.


Segundo os dados que foram divulgados pelo Ministério da Economia, as exportações brasileiras em janeiro de 2019 até a quarta semana de novembro totalizaram US$ 199 bilhões, e as importações US$ 161,4 bilhões com queda de 9% e 3%, respectivamente, se comparadas com o mesmo período de 2018. Embora a balança de pagamentos de 2019 tenha fechado com saldo positivo de US$ 37,6 bilhões ainda houve uma baixa de 27% se comparado ao ano anterior.


Dessa forma, é importante salientar que o processo de exportação é complexo e exige muita análise e preparação, principalmente no desenvolvimento de uma estrutura exportadora por parte da empresa que deseja conhecer novos mercados. O aumento do dólar é, em muitos casos, um fator positivo mas, não podemos nos esquecer dos demais processos, burocracias e variáveis que influenciam na efetividade da exportação e no sucesso do empresário.


Fontes:

Valor Investe | Administradores | AEB | GS1 | Economia UOL| Gazeta do Povo



Agende um diagnóstico gratuito!

arrow&v
arrow&v

© 2020 | Empresa Júnior de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca, São Paulo.