Business%20Colleagues_edited.jpg
  • Orbe

Como a guerra comercial EUA-China afeta as exportações brasileiras?

Atualizado: 17 de fev. de 2021



Você provavelmente já ouviu falar sobre a guerra comercial que acontece desde pelo menos 2018 entre Estados Unidos e China. Já se perguntou como os acontecimentos em lugares tão distantes podem afetar a sua vida?


Pois bem, como explicado em nosso artigo sobre as relações entre Brasil e China , esses dois gigantes internacionais são simplesmente as duas maiores economias do mundo e fazem comércio em larga escala com todas as regiões do planeta, isso significa que o mundo inteiro está conectado de maneira direta ou indireta com essas potências e um choque entre esses dois países têm efeitos diversos mundo afora.


Quando analisamos a posição do Brasil nesse esquema todo, podemos entender com maior facilidade como isso nos impacta. A China e os Estados Unidos representam, respectivamente, nossos primeiro e segundo maior parceiros comerciais, sendo que, quando se trata de nossas exportações, 26,5% vão para a China e 12,1% vão para os Estados Unidos, juntos representando então quase 40% de todos os produtos que saem do Brasil. Além de que, quando falamos de importações, 19,6% são oriundas da China e 16,9% dos Estados Unidos. Segundo dados do Observatório de Complexidade Econômica.



Onde entra o Brasil nisso?

Bom, o Brasil é um país de caráter exportador, a grande parte da economia do país gira em torno da exportação de commodities, que são produtos sem nenhum valor agregado, também chamados de produtos in natura, como por exemplo a soja , o trigo, frutas , bem como carnes, seja de frango, peixes ou bovina e suína, ou seja, a agropecuária.


Fora isso, o Brasil possui diversos incentivos à exportação que se manifestam de diversas formas, seja por regimes alfandegários especiais, incentivos fiscais, ou mesmo pela desvalorização do real perante o dólar.