O mercado de frutas para exportação

Atualizado: Ago 17

Fruta é um termo culinário popular designado para definir parte caracterizada como polpa que envolve uma semente. Geralmente apresentam aroma característico, possuindo um sabor adocicado, repleto de suco e abundante em fibras, vitaminas, minerais e carboidratos. Para ser consumida, geralmente crua, deve apresentar um grau de maturação, atingindo a máxima qualidade em tamanho, cor e sabor da sua espécie.


Classificação para Comercialização das Frutas


As frutas para comercialização são classificadas em 4 tipos, desta forma seu valor e sua qualidade são alterados, dentre as classificações temos:


Extra: As frutas para adentrar essa classificação precisam apresentar uma alta qualidade, estar madura e não apresentar defeitos e manchas em qualquer parte. Devem ter tamanho, forma e cor uniformes;


Primeira Classe: Nesta classificação são tolerados pequenos defeitos, apresentando pequenas manchas na casca, entretanto não deve prejudicar sua aparência, a polpa deve estar intacta. Ou seja, ainda deve apresentar boa qualidade, com tamanho, forma e cor uniformes além de estar madura;


Segunda Classe: Para esta classificação a polpa deve estar intacta, mesmo que pequenos defeitos e manchas estejam aparentes na casca, mas esta não pode apresentar machucados;


Terceira Classe: São frutas que não podem ser classificadas nas categorias anteriores, apesar de preservar suas características, não é exigido uniformidade cores e tamanhos, são frutas destinadas a fins industriais. Rachaduras, defeitos e manchas na casca são aceitos.


Dependendo do destino ao qual as exportações de frutas serão enviadas, sua classificação pode variar entre Extra e Primeira Classe para uma aceitação maior do público consumidor. Além de ser acompanhada pelos devidos documentos e certificação que asseguram o destino ao consumo humano.


O Mercado de Exportação de Frutas

Segundo a ABRAFRUTAS, Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados, em 2019 a fruticultura brasileira alcançou a marca de 16% de aumento em volume nas exportações de frutas. Foram exportados mais de 980 milhões de toneladas, comparados a 848 milhões em 2018. Destaque para o aumento da exportação de manga (30%), melão (27%), uva (19%) e limão (10%). Melancia, banana e abacate também apresentaram crescimento considerável no volume exportado. Comparando os anos de 2018 e 2017, pode-se constatar uma alteração no volume de frutas exportadas de um ano para o outro, no qual ocorreu uma diminuição para frutas como: mangas, melões, uvas, melancias, laranjas, pêssegos e cocos. Entretanto, houve um aumento no volumes de: limões e limas, frutas preparadas ou conservadas, maçãs, mamão, bananas, e goiabas.


Nos primeiro trimestre de 2020, o Brasil exportou mais de 234 mil toneladas de frutas, queda de apenas 2% se comparado ao mesmo período do ano anterior. Entretanto, algumas frutas apresentaram crescimento significativo, como abacate com 126%, a maçã com 56% e o limão com 46%. Com relação ao faturamento, as exportações somaram US$183 milhões, consequencia 8% a menos em comparação a janeiro a março de 2019. Dentre as principais frutas exportadas, houve diminuição no embarque de laranjas de 58%, uvas de 44%, de mangas com 23% e melões de 8%.


O diretor executivo da ABRAFRUTAS, Eduardo Brandão, diz que a queda é relacionada a diminuição da qualidade, o que ocorreu devido às mudanças climáticas. Em suas palavras: “Houve uma queda nas exportações de frutas importantes, como melão, uva, manga e laranja. Porém, tivemos aumento significativo em outras, como por exemplo, o limão, abacate e maçã. No caso do limão, o aumento da safra no primeiro trimestre de 2020 fez com que os preços caíssem no mercado interno e os produtores aumentassem as exportações. Outro fator que nos favoreceu foram os problemas com a safra mexicana, o que abriu mais espaço para o nosso limão”


Novos Destinos para as Exportações

Apesar de destinos antigos dentro do continente europeu como Reino Unido, Espanha e Holanda estarem consolidados, é importante sempre buscar e estabelecer relacionamentos com novos clientes. A Orbe Consultoria Internacional traz um novo destino para as exportações, que chamará a atenção dos produtores de frutas cítricas brasileiras.


O Brasil está em um processo avançado, com o Egito, para a abertura do mercado de exportação de frutas cítricas. Segundo o adido agrícola da Embaixada do Brasil no Cairo, Cesar Simas Teles, afirma que ainda é preciso que os requisitos sanitários acordados entre os dois países sejam publicados no Diário Oficial da União do Brasil.


O mercado no Egito destaca laranjas, tangerinas e limões. Com o acordo de livre comércio entre o Mercosul e o Egito, que entrou em funcionamento em 2017, a tarifa que atinge as importações das frutas cítricas egípcias já teve diminuição de 75%. A alíquota, que para o Egito atualmente é de 2,5%, será zerada até setembro de 2020.


Fontes: Abra Frutas | Só Nutrição | IEA | Faz Comex | Esalq



Agende um diagnóstico gratuito!

arrow&v
arrow&v
arrow&v
arrow&v

© 2020 | Empresa Júnior de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca, São Paulo.