Por que a internacionalização pode ser uma boa estratégia durante o período de pandemia?

O cenário de instabilidade causado pela pandemia do novo coronavírus tem atingido as mais diversas áreas. Especialistas do mercado financeiro projetam uma retração de aproximadamente 3,76% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro em 2020, além de possíveis efeitos drásticos na taxa de inflação e na cotação do dólar. Para driblar os impactos econômicos e financeiros, instituições de diferentes segmentos têm buscado alternativas para se adaptar às novas demandas, entre elas, a adequação da rotina empresarial para o ambiente virtual e a exportação se destacam como estratégias para combater os danos gerados pela crise.


A exportação é considerada pelos empreendedores brasileiros uma das melhores estratégias de sobrevivência para os períodos de crise. O processo de exportação pode ser compreendido como inserção de uma empresa em um mercado distinto do seu local e é capaz de estimular ganhos internos e externos através da diversificação de mercado e da redução dos riscos.


Por que exportar agora?

O Brasil enfrenta um panorama complexo diante da pandemia causada pelo COVID-19. A crescente no número de casos da doença e da desaceleração produtiva em benefício do isolamento social, impactam tanto na demanda, quanto no poder de compra da população nacional, refletindo nos ganhos do setor privado. Neste contexto, o mercado interno brasileiro se encontra fragilizado e a taxa de câmbio elevada, soma que oportuniza a exploração de novos mercados em busca de uma alta margem de lucro. A conquista de outros mercados é amplamente benéfica para das empresas, pois além de possibilitar a expansão do seu rendimento, auxilia no desenvolvimento de todo o setor produtivo e na consolidação da marca no cenário global.


Como saber se minha empresa está pronta para exportar?

Para empreender um processo de exportação bem-sucedido, a realização de uma análise da estrutura empresa da sua empresa é indispensável, pois trata-se de uma estratégia complexa, vinculada a múltiplas variáveis. O diagnóstico deve contemplar tópicos relacionados à dinâmica, funcionalidade, desempenho e diferenciais da empresa. Ademais, a instituição deve dispor de recursos humanos - capacitados - e financeiros para uso exclusivo do novo investimento. A fundação de um setor de exportação e a disponibilidade de um grande número de produtos no estoque são adaptações necessárias para a consumação do projeto.


Por onde começar

A partir da qualificação da estrutura interna da empresa, o processo de exportação pode ser iniciado. O primeiro passo é o seu cadastro no Registro de Exportadores Importadores (REI), que concede permissão para exportar. Em seguida, a equipe deve protagonizar estudos de mercado, em prol da identificação dos melhores mercados potenciais para o produto ofertado. A pesquisa é considerada uma das etapas mais importantes do processo de exportação visto que sua seleção conduzirá as demais. Uma análise completa das melhores opções de mercado é primordial para assegurar o desenvolvimento assertivo da exportação. O relatório final deve conter considerações dos aspectos comerciais, socioculturais e econômicos, além da construção de uma visão geral do país para a concepção de planos proveitosos e factíveis.


Após a definição do novo mercado-alvo, os procedimentos finais - documentação, trâmites burocráticos e administrativos, adaptação do produto, entre outros - são determinados conforme as suas normas, leis e demandas. Apesar do seu grande potencial de retorno financeiro, deve-se manter em mente que a exportação é um investimento de médio a longo prazo.


Agende um diagnóstico gratuito e converta o distanciamento social em oportunidade de desenvolver a sua empresa. Conheça 5 benefícios da exportação!


Fontes: Veja | Faz Comex | Revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios


Agende um diagnóstico gratuito!

arrow&v
arrow&v

© 2020 | Empresa Júnior de Relações Internacionais da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca, São Paulo.